quinta-feira, 24 de abril de 2008

Herói

O computador já andava a ameaçar há uns bons meses: teclas a saltar, drive dos cd's avariada, lentidão a mais para a minha falta de paciência. Ontem, aconteceu, morreu. Ficou infectado por não sei quantos vírus, impossível de trabalhar com tantas janelas a saltar. Já seria meia-noite quando isto aconteceu, ele no computador, eu a olhar para a televisão já com os olhos a piscar. Ainda tentei desligar e não me desviar do sono para ficar preocupada porque hoje não ia conseguir aceder às pastas que precisava para trabalhar em fecho antecipado. Não consegui, o nervoso foi crescendo, mas por que raios não fiz o back up do que era essencial, por que carga de água me deu, àquela hora da noite, para lhe pedir para ele ver se me arranjava o novo álbum da Adriana Calcanhoto. Ele não é informático, mas parecia. Deu-se ao trabalho de formatar o computador da minha mãe que aqui andava à espera de substituir o velho, de lhe instalar todos os anti-vírus possíveis, de tentar ligar, desligar e voltar a ligar o outro computador na esperança de recuperar alguma coisa. Às 2h da manhã conseguiu convencer-me a ir para a cama. Eu fui, ele ficou. Acordei às 5h e ele continuava acordado, com os dois computadores, a máquina fotográfica e não sei quantos fios ligados uns aos outros, a transferir pastas. Amor há muita gente disposta a dar, mas uma noite de sono e paciência para aturar computadores, só mesmo ele. Não é só por isso que é o meu herói, mas desta não me vou esquecer tão cedo.

2 comentários:

milletras disse...

É por estas e por outras que te escolhi para seres mãe do nosso bebé!

susana r. disse...

Sim, sim, é preciso ter mesmo muita pachorra para os computadores!