quinta-feira, 10 de abril de 2008

Quando começar ou recomeçar é vivido como algo que tem de ser absolutamente perfeito (se não for desde o início, quando vai ser?), começar ou recomeçar não é fácil. Mesmo se o que se abandona já era de um cor-de-rosa enjoativo. Não foi por isso que mudei. Foi porque às vezes precisamos de recomeços, mesmo que sejam difíceis. Este demorou meses, ou mais. Muita da culpa foi do nome que não aparecia e que, na verdade, não apareceu. Apesar de todas as ausências (do nome perfeito, do tema perfeito e do momento perfeito), avancei. Não foi por nada de especial: foi só por causa do telefonema que devia ter sido de manhã cedo, que anda para ser durante o dia todo e que ainda não aconteceu.

4 comentários:

Inês disse...

Marchamos pela charlote! Marchamos pela charlote!

Anónimo disse...

bem-vinda!
estava com saudades das tuas letras. e principalmente a partir de agora quando tudo promete ser diferente, especial... certo?

beijos.
a.

p.s. eu e o joão continuamos à espera...

Patricia disse...

é delicioso ler-te, com o um sem charlote. :) espero mts posts. Beijos

Susana r. disse...

Oupa! Queremos ler-te! :D)))) Os recomeços são bons!