sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Não voltarás a contar histórias que são só dos dois

Depois de ter vindo para aqui dizer que "ah, e tal, quando era miúda não gostava que falassem de mim como se eu não estivesse presente e não vou fazer o mesmo ao meu filho" já fiz isso uma porrada de vezes, em casa e na escola - e é na escola, ou com pessoas menos intimas, que ele não gosta particularmente que eu faça aquilo. Não voltou a dizer que estava triste, mas hoje, ao deixá-lo na escola, fiz o que odiava que me fizessem e ao cruzar o meu olhar com o dele percebi que estava a envergonhá-lo, a deixá-lo desconfortável, e odiei-me por isso mas não desarmei, mantive o sorrisinho de mãe parva orgulhosa do filho a contar uma história que devia ter ficado na cumplicidade dos dois. Burra, burra, burra!

1 comentário:

A mãe que capotou disse...

Exacto.
Foi exactamente este raciocinio que me fez alterar um pouco o tom do blogue, falar menos deles e mais do que eu penso sobre educação.
Acho que estamos no bom caminho, chamarmo-nos burras ja é um passo à frente ;)